quinta-feira, 18 de setembro de 2008

5º As Bandas Mais Chapadas do Brasil


Agora a melhor banda do Brasil, e possivelmente a melhor e mais criativa banda da história do rock'n roll. Os Mutantes. Minha banda preferida.

Existem algumas curiosidades que vcs devem saber antes de ler a história, como Kurt Cobain declarando que Mutantes é a banda preferida dele e que o Nirvana veio ao Brasil apenas para tocar com eles. Os Mutantes foram influência até mesmo aos Beatles no que se refere a psicodelia. Enfim, a banda mais inovadora que o Brasil já teve. Há muitas outras curiosidades, mas pesquisem vocês mesmos. Legião Urbana fez história, mas se Mutantes fossem dos anos 80, não sei se Legião teria tanto destaque.

Os Mutantes foram a banda de rock mais original do rock brasileiro, ou quem sabe do mundo. O trio formado por Rita Lee, Arnaldo Baptista e Sérgio Dias apresentava um rock anárquico e experimental, que misturava desde psicodelia, Beatles, música concreta, música erudita e até o samba. Tudo isso com muita distorção de guitarra.
Junto com seus colegas Tropicalistas: Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tom Zé, Capinan e Nara Leão, eles atearam fogo no cenário musical brasileiro.
Tudo começou em 1964, quando os irmãos Baptista, Arnaldo (baixo, teclado) e Sérgio (guitarra) formaram a banda adolescente chamada Wooden Faces. Porém esta teve vida curta e logo depois eles montaram uma nova banda, o Six Sided Rockers, já com a presença de Rita Lee. O grupo ainda trocou de nome mais uma vez, para O Konjunto, até ser batizado definitivamente de Mutantes, que fora inspirada no livro de ficção científica “O império dos mutantes”, do francês Stefan Wul.
Em 1966, com o conjunto bem entrosado, os Mutantes passaram a fazer participações em programas de TV bem populares, tais com “Astros do Disco”, “Jovem Guarda”, “O Pequeno Mundo de Ronnie Von”. Isso permitiu que o som deles chegasse aos ouvidos do maestro Rogério Duprat, que encantado, os chamou para contribuírem no arranjo de “Domingo no parque”, canção de Gilberto Gil para o III Festival de Música Popular Brasileira da TV Record de São Paulo (1967). Não satisfeitos com isso, eles ainda acompanharam o próprio Gil em sua apresentação no mesmo festival.
Esse evento abriu as portas para um primeiro compacto – O RELÓGIO (1967) – e a participação no “disco-manifesto” TROPICÁLIA OU PANIS ET CIRCENSIS (1968), que deflagou o Movimento Tropicalista.
Em 1968, eles lançam o seu primeiro LP, OS MUTANTES chegam as lojas , apresentando um repertório forte, bem psicodélico, com muita microfonia e longas passagens instrumentais. Tudo isso sob a “batuta” do maestro Rogério Duprat e do irmão Cláudio César, nos efeitos de estúdio e nos instrumentos. Mas o impacto mesmo ocorreria ao acompanhar Caetano Veloso na canção “É proibido proibir”, no III Festival Internacional da Canção da TV Globo do Rio, no qual se ouvia vaias de um lado e gritos de guerra do outro.
O ano de 1969 também é rico em acontecimentos. Gravam o segundo disco MUTANTES, sensivelmente melhor, onde mostram grande evolução musical, principalmente no que concerne a arranjos e composições. Canções como “Dom Quixote”, “2001” e “Algo mais” mostram que estavam bem afiados, sendo esta última utilizada para um comercial da Shell.
Pela primeira vez viajam para o exterior, França e Europa. Na volta a “família mutante” cresce com a entrada do baterista Ronaldo Leme (Dinho) e o baixista Arnolpho Lima (Liminha).
Os dois álbuns seguintes "A DIVINA COMÉDIA OU ANDO MEIO DESLIGADO (1970) e JARDIM ELÉTRICO (1971) manteve o nível, flertando agora com o blues, o soul e o hard rock. Eles ainda fizeram um show no Olympia de Paris, onde aproveitaram a estada na Europa para gravar um disco para o mercado internacional, todo em inglês, que só foi lançado vinte anos depois (2000).
Paralelamente aos Mutantes, Rita Lee vinha gravando discos solos, que alimentavam os rumores de sua saída da banda. Fato que se consumou após a gravação do fraco MUTANTES E SEUS COMETAS NO PAÍS DO BAURETS (1972).
A partir daí tudo se modificou, enquanto Rita Lee se firmava como uma estrela de primeira grandeza da Música Popular Brasileira. Arnaldo Baptista, continua com os Mutantes por mais um disco – O A E O Z (gravado em 1973 e lançado em 1992), para depois seguir em carreira solo, onde alterna bons e maus momentos, com destaque para o álbum LOKI? (1974). Já Sérgio Dias tentou levar a frente os Mutantes, agora progressivo, sem muito sucesso.
Mais dois discos foram lançados - o TUDO FOI FEITO PELO SOL (1974) e o AO VIVO (1976). Contudo o fim da banda era inevitável. E dessa forma chegou ao fim a incrível jornada dos Mutantes, uma das bandas mais criativas do rock.
__________________________________________________
Discografia

Álbuns de estúdio

* 1968: Os Mutantes
* 1969: Mutantes
* 1970: A Divina Comédia ou Ando Meio Desligado
* 1971: Jardim Elétrico
* 1972: Mutantes e Seus Cometas no País do Baurets
* 1974: Tudo Foi Feito Pelo Sol
* 1992: O A e o Z (gravado em 1973)
* 2000: Tecnicolor (gravado em 1970)

Álbuns ao vivo

* 1976: Mutantes Ao Vivo
* 2006: Mutantes Ao Vivo - Barbican Theatre, Londres 2006

DOWNLOADS AQUI!

COMENTEM SEUS FILHOS DA PUTA!

Abraço.

6 comentários:

lobatinho disse...

"Kurt Cobain declarando que Mutantes é a banda preferida dele e que o Nirvana veio ao Brasil apenas para tocar com eles"

_______________________________

Está parte ñ procede,Cobain havia ouvido falar q eles tinham sido revolucionários pra épok,mas nada q ele conhece sobre eles

Punk Star disse...

Essa banda era chapada!!!


Aí Renan, vai ter Secos & Molhados?

Monegheta disse...

De fato, é a banda mais chapada do Brasil.
Mas foi esquecido na história a formação do O'Seis, que em 1966 chegou a gravar um compacto com as músicas SUICIDA e APOCALIPSE, pela Continental. Desses 6, ficaram 3: Rita, Arnaldo e Sérgio (O Konjunto, depois Os Mutantes).
Tb vale relatar o lançamento de uma música inédita MUTANTES DEPOIS, lançada em 2008, parte do tão esperado CD.
Beijos exagerado.

ichbingot disse...

Secos & Molhados estão na espreita.

Andre disse...

Muito legal o texto.
Mas vão aqui algumas observações para o Debate.

1. O Disco País dos Baurets não é fraco. Ele marca o início da mudança para a vertente Progressiva no início dos 70. Foi um dos mais vendidos. Tem a Balada do Louco um dos maiores sucessos da banda mas a mídia e os críticos começavam jogar seus holofotes para a Rita Lee que tinha o apelo comercial de ser a única mulher no mundo do rock dominado pelos marmanjos além do seu talento e irreverência, é claro!!

Em 1974 todos os discos dos Mutantes já estavam fora de catálogo (proposital?). E o "A e o Z" foi engavetado.

2. O Tudo foi Feito pelo Sol (TFFPS) consolida a fase progressiva, foi o disco que mais vendeu na história da banda com 50 mil exemplares, e os shows estavam sempre lotados.

3. Os Mutantes não acabaram!! Em 2006 lançaram o DVD do Show Barbican em Londres.
Continuam ai fazendo os seus shows (eu mesmo fui a 3 shows no ano passado aqui no Rio) e devem lançar um disco de inéditas ainda este ano, que estou aguardando com ansiedade.

Aproveito a oportunidade para agradecer o espaço aqui do Blog do Renan e mando um "Abraço pra Velha"!!

Rafael disse...

MELHOR BANDA DO BRASIL E UMA DAS BANDAS MAIS ORIGINAIS E CRIATIVAS DO PLANETA!

Valeu lek Renan!