quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Discos: Electric Warrior por T. Rex (1971)


A banda que começou com o nome Tyrannosaurus Rex, e devido à sua mudança de estilo e também para ser tornar algo mais fácil, e consequentemente mais comercial, mudou o nome para T. Rex apenas.

Como Tyrannosaurus Rex a banda gravou nos anos 60 discos de folk-rock. E abriram os anos 70 já como T. Rex como um Glam Rock, muito bem trabalhado mas sem fugir da sua essência. Marc Bolan o grande cabeça da banda era o compositor da banda, morreu com apenas 29 anos num acidente de carro em 1977, digamos que ele morreu junto com o seu Glam e Hard rock. A banda teve altos e baixos mesmo depois de seu sucesso comercial, teve discos bem peculiares e que não agradaram muito o público.

O disco Electric Warrior é o segundo como T. Rex, de 1971, tem baladas, hard, glam, blues e boogie, tudo que o Marc Bolan sabia fazer muito bem.


Mambo Sun: Uma música suave, no estilo T. Rex, o vocal inconfundível do Marc Bolan e a levada clássica de guitarra mas tímida. A guitarra sempre com um overdrive bem característico da banda uma levada agradável, nenhum clássico, mas muito prazerosa de se ouvir.

Cosmic Dancer: Uma balada magnífica, consigo ver o David Bowie cantando-a, apesar de ter uma estrutura simples e um refrão apenas com um "gemido" ela soa completa, um solo com um efeito reverso finaliza uma música simples e genial.

Jeepster: O instrumental não engana, é um boogie, a linha de baixo e a bateria marcam, no refrão a música parece que sairá do boogie, dá uma quedinha mas aí volta com o solo, a letra como não podia ser diferente é para uma garota "I said girl I'm just a vampire for your love /
I'm gonna suck you".

Monolith: Uma música com um ar mais soul, um coro no fundo, a voz, baixo e abateria forte no verso com pequenas "intervenções" da guitarra. Uma música que não muda muito e é um ótimo preparativo pelo que vem pela frente.

Lean Woman Blues: Um blues com o overdrive típico do Marc Bolan, e não deve nada para os blues consagrados, de outras bandas britânicas lógico, se pegarmos solo é covardia, é intenso e como todas as músicas do T. Rex acaba na hora certa, não se tornando enjoativo ou incômodo.

Bang A Gong (Get It On): Essa música é a que todos conhecem, não é a toa também, grande clássico, um verso clássico sem intensidade mas é excitante, o refrão simples e sensacional onde a batida da bateria te leva e já no segundo refrão provavelmente você já cantará junto. O riff é inspirado na música Little Queenie de Chuck Berry segundo o próprio Bolan revelou.

Planet Queen: Os coros quase sempre presentes, nessa é especial, cria toda a atmosfera da música, mais uma música suave e gostosa de se ouvir. Só ouvindo pra entender que não é tão simples quanto parece, é suave mas também tem uma certa tensão implícita.

Girl: Uma balada com violão voz predominantes. Sem a estrutura típica que as músicas seguem, assim como outras canções da banda.

The Motivator: Outra característica da banda, versos ótimos e que fecham com uma frase repetida e acentuada, substituindo o refrão perfeitamente e em seguida já partindo pro solo e voltando pros versos.

Life's A Gas: O começo vai lembrar canções anteriores do disco, mas não é, porém é a música mais fraca do disco.

Rip Off: A música mais diferente do disco, talvez por último, um vocal diferente dos anteriores, mais "punk", uma música com mais presença e mais pra cima e rápida.


Músicas que não estão nesse disco e merecem destaque são 20th Century Boy, Children Of Revolution e Metal Guru, a primeira com um dos riffs mais marcantes e fáceis do rock, as outras duas grandes clássicos da banda.


Destaques:





1 comentários:

Julio Cesar disse...

Ei punk, vai se fuder. Brincadeira, mas nem li a resenha.